Foto: Nassen Nassen/Associated Press
 
Dezenas de milhares de iraquianos acompanham o funeral do general Qassem Soleiman neste sábado (4) no Iraque. O corpo passou pela capital, Bagdá, e pelas cidades iraquianas de Karbala e Najaf, consideradas sagradas pelos muçulmanos xiitas, de onde parte para o Irã.
 
O militar, chefe de uma unidade especial da Guarda Revolucionária do Irã, foi morto na quinta-feira (2), após um ataque aéreo dos Estados Unidos, ação que aumentou a tensão no Oriente Médio.
 
Ao todo, o funeral terá duração de 4 dias. Neste sábado saiu de Kadhimiya, um distrito xiita de Bagdá, e passou pelas cidades de Karbala e Narjaf. No domingo (5) chegará à cidade sagrada iraniana de Mashhad.
 
Na segunda-feira (6) o cortejo seguirá para Teerã e, na terça-feira (7), chegará a Kerman, cidade natal do general, onde será realizado o enterro do corpo.
 
O primeiro-ministro iraquiano Adel Abdul Mahdi participou do funeral. Também estiveram presentes Hadi Al Ameri, chefe das forças pró-Irã no parlamento iraquiano; o ex-primeiro-ministro Nuri Al Maliki e vários chefes de facções xiitas.
 
Durante a procissão, que também carrega o caixão do líder da milícia Abu Mehdi Al Muhandis, morto na mesma operação norte-americana, a multidão gritou "morte à América!".
 
Na manhã de sábado, noite de sexta-feira (3) no Brasil, as Forças de Mobilização Popular disseram que um novo ataque havia atingido um comboio de médicos da organização. Mais tarde, porém, negaram que isso tivesse ocorrido.
 
'Ele alcançou seu sonho'
 
O líder supremo do Irã, Ali Khamenei, visitou a família de Qassem Soleiman. Aos familiares do general, ele disse que Soleiman "alcançou seu sonho" ao tornar-se um mártir ao lutar pela causa de Deus.
 
À filha de Soleiman, Khamenei disse que “todo mundo está enlutado e agradecido ao seu pai" e que "essa gratidão se deve à sua grande sinceridade, pois os corações estão nas mãos de Deus".