Texto: Manoel Freitas
Edição: Silvana Miranda
 
Ontem à tarde, depois de ocuparem o gabinete do prefeito Humberto Souto, pela segunda vez em 57 dias de protestos, diretores do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Sistema Público Municipal de Montes Claros (Sind-Educamoc) viveram momentos difíceis. É que grupo de professores deixaram o terceiro andar e, na garagem, cercaram o veículo do prefeito Humberto Souto, gritando palavras de ordem. 
 
“Covarde, covarde, covarde”, afirmavam em coro os manifestantes, contidos não apenas pela Guarda Municipal, como, igualmente, pelo Grupo Tático Ambiental, quem juntos, formam o que a entidade representativa da categoria classifica como “tropa de choque”. Mesmo com parte dos educadores dando tapas na lataria, o chefe do Executivo manteve a calma. 
 
Por outro lado, o clima de guerra inflamou os manifestantes, que gritavam “não agridem Iara (a presidente do Sid-Educamoc) não, porque nós estamos filmando”. “Eu quero o meu dinheiro, prefeito caloteiro”, ecoavam o pessoal do magistério, cujo principal objetivo é garantir o pagamento dos salários do mês de dezembro e, ainda, as rescisões dos contratados. 
 
Com o ar condicionado incomodando os manifestantes,  grupo dormiu no gabinete do prefeito Humberto Souto, pela primeira vez na história. Hoje, durante todo o dia, tanto os dirigentes como vereadores ligados à base governista e aqueles que integram a Comissão de Educação da Câmara Municipal e o Conselho Municipal de Educação, trabalhavam no sentido de encontrar um meio termo. Entretanto, até às 19 horas no sindicato não conseguiu ser recebido pelo prefeito.