Texto: Manoel Freitas
fotos:Manoel Freitas
Edição: Silvana Miranda 
 
Onze meses depois de pleitear aumento de R$ 2,85 para R$ 3,00 para a tarifa dos lotações, a Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano Montes Claros (ATCMC), obteve autorização para vigorar a nova tarifa, baseado em planilha apresentada à 2ª Vara da Fazenda Pública do Fórum Gonçalves Chaves. Na tarde de hoje, a entidade que representa os operadores do transporte na cidade afirmou aguardar agora apenas a definição  da Justiça para prevalecer o aumento, na verdade arredondado de R$ 3,10 para R$ 3,00. Desde junho de 2017 é cobrado R$ 2,85. 
 
Jaqueline Camelo, gerente da ATCMC, disse que o foi feito à Procuradoria Municipal no dia 20 de dezembro, sob o argumento de que o congelamento da tarifa está inviabilizando a atividade, a despeito de o aumento ter sido negado há 18 meses em função de dívida de uma das empresas com a Prefeitura de Montes Claros. Por parte do Ministério Público de Minas Gerais, o preço foi mantido tanto tempo em R$ 2,85 em face à cobrança indevida realizada pelas operadoras nos anos de 2014 e 2015, referente ao pró-labore dos diretores das empresas. Operando a R$ 0,25 abaixo do valor determinado pela planilha, nesse período, os empresários deixaram de faturar R$ 1,815 milhão.
 
Mesmo diante no aumento, a Prefeitura de Montes Claros promete fazer novo processo licitatório, uma vez que a ATCMC opera com contrato que terminou em 2017, assinado em 2007, concessão pela qual desembolsou para os cofres da municipalidade R$ 12 milhões, atendendo determinação do Ministério Público no sentido de compensar o município com novo período de exploração do serviço.