Foto: Manoel Freitas
Repórteres: Silvana Miranda, Samuel Oliver, João Vítor
Por João Vítor
 
           Com o rompimento da Mineradora Vale do Rio Doce na Mina Feijão, em Brumadinho, cidade da região Metropolitana de Belo Horizonte, os rejeitos de mineração afetaram a bacia que abastece a cidade, além de outras afluentes. Cerca de 345 funcionários da Vale do Rio Doce estão desaparecidos. O corpo de bombeiros já contabilizou nove mortes.
 
Existe também a possibilidade de aproximadamente 35 pessoas desaparecidas, que estavam hospedadas em uma pousada na localidade onde a tragédia aconteceu. Ainda não há contagem de moradores locais desaparecidos, segundo a Vale.
 
A quarta barragem, a qual possui reservatório de água está sendo monitorada pelo corpo de bombeiros. De acordo com a instituição, não há riscos de rompimento, a mesma permanece sendo supervisionada pelos bombeiros e também por especialistas (engenheiros e técnicos) da Vale.
 
A corporação se comprometeu em a dar apoio a todas as pessoas que ficaram desabrigadas e sem aparo devido a catástrofe, oferecendo hospedagem, alimentação, além de auxilio de saúde.